NOVO TESTEMUNHO DE MILAGRE

1104

NOSSA SENHORA  APARECIDA ME CUROU

 

Ela é Maria Auxiliadora, conhecida como “Lili”. Nasceu em  Sobral – Ceará, morou 25 anos no Mato Grosso e 30 anos em Teresina/Piauí  e hoje reside em Cascavel – Ceará.

 

 

 

 

“Eu não acreditava em milagres! – Um dia fui testemunha de um milagre! Fui abençoada por Deus e Nossa Senhora Aparecida.” (Lili)

 

Tive um problema de saúde, na coluna, causando-me uma imensa dor no nervo ciático.

 

“O nervo ciático é considerado o maior do corpo humano: estende-se desde a face posterior do quadril, descendo por trás da coxa e dos joelhos até alcançar o dedo maior do pé, ou seja, vai desde a coluna lombar até os pés. É ele quem possibilita o movimento dos músculos das pernas, permitindo as articulações dos membros inferiores, além de ser responsável pelas sensações. A dor é causada por algum tipo de inflamação ou dano ao nervo ciático (que pode ocorrer dentro do canal espinhal ou em algum outro ponto do percurso que o nervo faz), e ainda pela pressão da coluna sobre o nervo. Geralmente, os anéis que circundam os discos se rompem com o aumento de pressão, intensificando as dores nas costas. Com o rompimento do anel, o núcleo escapa para o interior do canal e comprime o nervo, caracterizando a dor. As causas mais comuns para a compressão do nervo ciático e o consequente surgimento de processos dolorosos são: tumores, estenose da coluna lombar, lesões, fraturas por pressão (provocando deslizamento de vértebras), traumas, anomalias congênitas, hérnia de disco, osteoartrite, síndrome do músculo piriforme (um espasmo muscular que comprime o nervo ciático)”- explica a medicina.

Quando as dores estavam insuportáveis, cada vez mais difícil os movimentos, procurei o médico.

Os sintomas mais comuns da dor ciática são: perda da sensibilidade ou redução dos reflexos da região atingida; diminuição da força muscular; formigamento ou sensação de queimação; dores irradiando da coluna lombar para a região posterior da coxa ou da perna; aumento de dores depois de ficar em pé ou sentar, ao tossir, espirrar ou rir; intensificação da dor com movimentos de elevação dos membros inferiores, etc.

Em geral, os sintomas podem variar, entretanto, em qualquer caso tendem a piorar durante a noite e, comumente, a dor ciática pode estar associada à dor lombar.

Os sintomas acometem indistintamente homens e mulheres, podendo aumentar com o envelhecimento, pois conforme a idade avança, as estruturas da coluna vertebral podem sofrer desgastes que acabam comprometendo a medula espinhal bem como as raízes que dão origem aos nervos”- afirma a medicina.

Fiz de tudo que o ser pode fazer pelas mãos dos humanos para a cura.  O médico fez até um bloqueio em mim. Nada adiantou. Não parava de doer.

Então o médico deu-me duas opções: fazer a cirurgia e correr o risco de morrer, ou ficar na cadeira de roda.

Logo meu esposo angustiou-se e tomou a frente da minha decisão: “Não! Eu prefiro ver minha mulher na cadeira de rodas do que ver ela morrer, eu cuido dela!”

Claro que a partir desta hora, cada segundo era de eterna aflição. Um dia antes de receber alta, já na madrugada, levantei-me, aproximei-me da janela do apartamento que eu estava no hospital, conversei com Deus e pedindo para Nossa Senhora Aparecida: “Oh minha Nossa senhora Aparecida, me ajude pelo amor de Deus! Eu não aguento mais sofrer, estou sofrendo demais. É muita dor, muito incômodo, me ajude. O que a Senhora me pedir eu faço. Não aguento tamanho sofrimento. Me dê uma luz no fim do túnel”.

Conversando aflita, em busca de respostas, Maria Auxiliadora ouve uma frase em sua cabeça, que diz:

“Assista a missa todos os domingos durante um ano”.

No momento que veio esta frase, meu esposo acordou e pergunta: “o que você está fazendo nesta janela?”. Respondi: “Estou conversando com Deus e Nossa Senhora.

Logo, meu esposo acrescenta que eu deveria fazer uma promessa para Nossa Senhora Aparecida e acrescentou: “Se você fizer eu faço com você”. Eu disse que ele não ia conseguir. Ele reafirma que ajuda a fazer a promessa.

No primeiro domingo após sair do hospital, fomos juntos para a missa e uma turma de amigos nos acompanhavam. Não fomos de motocicleta,  porque eu não podia sentar. Fomos à pé, mesmo sem poder andar muito, ia puxando a perna. A igreja ficava em outro bairro.  Mais ou menos 5km.

No domingo seguinte, ao final da missa, quando saí com meu esposo e a turma, puxando  minha perna, segundos seguintes me percebi andando normal!

Pasma, movimentei meus membros inferiores e nada de sentir dor. Uma emoção extraordinária tomou conta de mim e gritei:

“Genteeeee! Eu estou andando. Não estou sentindo nada!”.

E disseram: “Anda aí para eu ver!”. Eu andei e até pulei e corri glorificando, de um lado para o outro!

Passei a acreditar no milagre e cumpri a promessa além de um ano.

Já faz três anos que fui curada. Não sei mais o que é nervo ciático. Não sei o que é dor na coluna. Hoje faço tudo, até muito mais. Só tenho a agradecer.

CONEXÃO SENSORIAL COM DEUS

Maria Auxiliadora afirma que ao ouvir (audição) a frase em sua cabeça, que diz: “Assista a missa todos os domingos durante um ano”. Percebe que era uma voz feminina muito suave. Ela arrepiou-se, sentiu algo estranho, inexplicável, uma emoção jamais vivida, uma voz (audição) que ela nunca havia ouvido, nem parecida! Seu esposo sentiu suas sensações experimentadas como “Dois corpos em um só”.

A fé foi fortificada. Hoje ela acredita na certeza da providência divina.

No momento do milagre, indagou: “É verdade?”. Sua indagação foi reafirmada na voz de outra pessoa: “Anda aí para eu ver?”.

“Ora, para que saibais que o Filho do homem    tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa” – Marcos 2:10-11

 PESSOA AUDITIVA

Maria Auxiliadora é uma mulher auditiva,  que costuma expressar seus sentimentos em voz alta. Às vezes os outros se surpreendem com essa curiosa mania, mas na realidade muitas pessoas são assim. Verbalizam, falam consigo mesmas e assim, desabafam.

Também é comum que pessoas com um perfil auditivo gostem de escutar as outras pessoas, é assim, por exemplo, que conseguem memorizar e reter mais informações: escutam as pessoas em voz alta, quase nunca escrevem.

Também são pessoas de personalidade muito expressiva e com grandes dotes de comunicação. Sabem se expressar muito bem e gostam de escutar aos demais. Nada lhes escapam, podem ser capazes de seguir uma conversa ao mesmo tempo em que escutam uma música.

Podem fazer várias coisas ao mesmo tempo, diferente daquelas pessoas que são visuais, e que em alguns momentos é difícil se concentrarem caso haja muitos estímulos no ambiente.

Para conversar com Deus e Nossa Senhora, ela reservou-se na madrugada. Concentrou-se em seu foco, e direcionou toda a sua energia para a conexão. Despreendeu-se de tudo ao redor para conseguir o diálogo.

E você?

Como tem se conectado com os seus? Sua família, amigos, conhecidos, desconhecidos? Como você tem se conectado com você mesmo? Como tem se conectado com Deus?

Adriana Kally – Filósofa, Coach Professional and Personal, Palestrante.

 

Comments

comments